quinta-feira, 20 de outubro de 2011

EDITORIAL: Miguel Haddad (PSDB) e aliados escancaram desespero ao tentar manchar a imagem do deputado Pedro Bigardi

As eleições de 2012 ainda estão longe, mas em Jundiaí as emoções da campanha já estão em pleno vapor. Resta à população não se deixar manipular por interesses partidários para chegar às suas próprias conclusões sobre os fatos apresentados.

- por André Lux, editor da Folha do Japi

Desespero: PSDB antecipa disputa de 2012 e já tenta manchar imagem de Pedro Bigardi

Jundiaí é governada há mais de 30 anos pelo mesmo grupo político que se reveza no poder, muito antes mesmo de aderirem ao PSDB. Nos últimos anos, porém, esse grupo encontra cada vez mais dificuldade de se manter no poder, tanto é que nas últimas eleições para prefeito conseguiu evitar o segundo turno por uma mísera diferença de 600 e poucos votos.

No início do ano, vazou para os bastidores da política local o resultado de uma pesquisa supostamente encomendada pelos próprios tucanos relativa às eleições de 2012 e também à popularidade do prefeito Miguel Haddad. Os números deixaram os tucanos em polvorosa. Não apenas os resultados da suposta pesquisa apontavam empate técnico entre o candidato do PSDB e Pedro Bigardi (PCdoB) no segundo turno, mas também revelaram que a rejeição a Haddad na cidade estava batendo na casa dos 30%.

Há poucos meses, uma outra pesquisa, desta vez encomendada por um grupo de empresários de Jundiaí e que também vazou, confirmava os números obtidos pela primeira suposta pesquisa dos tucanos. De acordo com o blogueiro Cesar Tayar (ex-presidente do PPS local e atualmente sem partido) há poucas semanas, o PSDB supostamente realizou uma nova pesquisa e os números foram ainda mais desesperadores para os tucanos: Pedro Bigardi já estaria vencendo Miguel Haddad no segundo por uma pequena margem e a rejeição do prefeito já ultrapassava os 30%.

Pano rápido. Esta semana, num gesto teatral de puro marketing político, o PSDB e um grupo de aliados de outros partidos, resolveram tentar ligar Pedro Bigardi às denúncias que se abatem contra o Ministro do Esporte, Orlando Silva, correligionário do deputado estadual no PCdoB, entregando uma representação na Procuradoria da República do Estado de São Paulo, buscando informações sobre possível envolvimento de Bigardi nas denúncias.

O deputado Pedro Bigardi (PCdoB), em nota distribuída à imprensa, chama a postura dos tucanos e seus aliados de estratégia política para 2012 e afirma que poderá processá-los por calúnia e difamação. "Estão insinuando que estou envolvido em coisas que ainda não foram confirmadas. Acredito que isso seja medo, pois eles sabem muito bem que sou reconhecido na cidade e que serei um forte candidato nas próximas eleições."

Cesar Tayar afirma em seu blog que o desespero do prefeito Miguel Haddad e do PSDB local é visível. “Com um ano de antecedência já começaram a campanha eleitoral e da pior maneira possível, ou seja, atacando seu principal adversário: o deputado estadual Pedro Bigardi”, escreve Tayar.

Para o presidente do PT de Jundiaí, Paulo Malerba, que opinou sobre o fato em sua página do facebook, a ação dos tucanos contra Bigardi é ridícula e demonstra a pequenez política do PSDB. “Deveriam ir pedir para investigar a FUMAS da cidade e os cargos de confiança do Prefeito Miguel Haddad, onde há denúncias graves oriundas de um vereador em exercício sobre o uso eleitoral da máquina pública”, denuncia Malerba.

Para a Folha do Japi, essa ação dos tucanos de Jundiaí, que como era de se esperar ganhou ampla cobertura da imprensa subserviente da cidade, deixa claro que eles já entraram em campo para as eleições de 2012, mas acima de tudo comprova por tabela que os resultados das supostas pesquisas de opinião citadas acima devem realmente ser verdadeiros, caso contrário não estaria adotando medidas que demonstram tamanho desespero em tentar manchar a imagem do deputado estadual Pedro Bigardi.

As eleições de 2012 ainda estão bem longe, mas em Jundiaí as emoções da campanha já estão em pleno vapor. Resta à população da cidade acompanhar os lances e não se deixar manipular por interesses partidários para chegar às suas próprias conclusões sobre os fatos apresentados.

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Miguel Haddad (PSDB) veta projeto para incluir pessoas com deficiência

- do blog Mais Jundiaí

Sem nenhuma justificativa plausível, o prefeito de Jundiaí, Miguel Haddad (PSDB), vetou projeto já aprovado na Câmara para regular cotas de vagas a pessoas com deficiência no serviço público. Agora, a proposta volta à análise dos vereadores na sessão desta terça-feira (3). Caso os parlamentares sejam contra o veto do prefeito, a proposta vira lei.

A proposta para incluir mais pessoas com deficiência nos concursos públicos é do vereador Durval Orlato (PT) e já havia sido discutida em Fórum realizado na Associação dos Aposentados. A iniciativa tem o apoio de entidades como a Pastoral da Pessoa com Deficiência e a Gerência Regional do Trabalho e Emprego.

De acordo com o vereador, atualmente a lei municipal não está de acordo com a lei federal que define as cotas para pessoas com deficiência. “Pelo entendimento da lei da cidade, a cota para deficientes é de 5%, assim como a federal. Entretanto, se oito vagas são abertas, o resultado dá 0,4. E a Prefeitura não arredonda este número para um. A lei federal diz que em casos como este, uma das oito vagas deve ser direcionada às pessoas com deficiência”, explica.

Orlato pesquisou e constatou que, nos últimos dez anos, a Prefeitura de Jundiaí contratou cerca de 4.500 servidores e que ao menos 100 deficientes deixaram de ser contratados.

Recentemente, o vereador esteve na secretaria de Recursos Humanos da Prefeitura e detalhou todo o projeto aos representantes do Executivo. Mesmo assim, o prefeito não se sensibilizou.